De 6 a 10 mil igrejas são fechadas por ano nos EUA

De 6 a 10 mil igrejas são fechadas por ano nos EUA

10 de Dez de 2018

Uma quantidade espantosa e cada vez maior de igrejas protestantes e católicas está fechando suas portas anualmente nos Estados Unidos. Diante da frequência cada vez menor de pessoas, infraestrutura em ruínas e manutenção cara, cerca de 6.000 a 10.000 igrejas são fechadas a cada ano, de acordo com estimativas.

A crise atinge todo tipo de igreja. Neste mês de dezembro, uma centenária congregação afro-americana reuniu alguns de seus ex-membros em uma ala usada como escola primária onde o bispo responsável presidiu a cerimônia para oficializar o fechamento da igreja Episcopal de Todos os Santos, na Carolina do Norte, já que os serviços semanais terminaram há mais de três anos.

Só na Carolina do Norte havia 60 igrejas desta denominação. A Igreja de Rocky Mount foi fechada há dois anos; e outra corre o risco de fechar no ano que vem. Hoje, resta apenas uma dúzia, das quais só três têm pastor em tempo integral.


História

Outra grande igreja que está com a data de seu fechamento marcada é a Luterana Betania, de Orange. Apesar de toda sua história, a igreja de 130 anos vai realizar seu último culto em 20 de janeiro de 2019. Suas instalações passarão para uma congregação vizinha, a Missão da Igreja Covenant. "Será uma forma de lembrança para nós", disse a pastora Mary Hendrickson.

De acordo com informações da igreja Episcopal, o desaparecimento de congregações, principalmente as afro-americanas, está acontecendo ainda mais rapidamente, situação que chamou de "fortes ventos contrários". Junto com elas, parte importante da história americana. Algumas dessas igrejas foram criadas após a Guerra Civil, quando a escravidão foi abolida, o que torna a perda ainda maior devido os registros históricos que têm.

Uma das seis últimas integrantes, a professora do ensino médio Wilhelmina Ratliff aponta ainda a importância social da igreja. Ela disse que "a Igreja de Todos os Santos foi importante não só para os membros, mas também para a comunidade e para a nação".

Um dos primeiros bispos da igreja Episcopal, em 1918, Henry Beard Delany, teve sua história conta pelas filhas, Sarah e A. Elizabeth Delany, em um livro de 1993 que se tornou best-seller, onde contam sobre as lutas de seu pai pelos direitos civis.


Desesperança e reação

O fechamento de igrejas e a frieza espiritual dos membros têm provocado tristeza e desesperança entre cristãos. "Não é segredo que milhares de igrejas fecham todos os anos. Toda vez que ouço falar de uma igreja que está se fechando, meu coração se entristece. Apesar das vozes de todos os críticos e da frieza espiritual, eu realmente acredito que a igreja local é um farol de luz em um mundo que está cada vez mais escuro", disse o pastor Carey Nieuwhof.

Em depoimento comovente, o pastor R. H. Johns, de 60 anos, relata os problemas que têm para manter a igreja de 75 anos que ele pastoreia. "Eu estou nesta igreja há 5 anos e gastei mais de US$ 2.000 do meu próprio bolso para promover a igreja no condado. As pessoas não querem se deslocar muito e ficamos em uma área rural com mil pessoas. Eu não quero desistir, mas minha idade parece estar trabalhando contra mim. Eu pensei em apenas me tornar um membro fiel de uma igreja em algum lugar e viver meus dias, talvez dando uma aula ou algo assim."

O pastor Rick Rabe diz que é preciso reagir. "Muitos de nós temem a perda da `igreja´, mas vejo que é inevitável uma mudança de comportamento e também coragem para formar novos discípulos". Para Grace Sweatman, é possível mudar as coisas. "Precisamos impactar a igreja. Precisamos nos comprometer a ser bênção para os pastores e assim deve ser. Minha visão pessoal é `onde há vida, há esperança´. Por isso, vou me apegar à esperança e orar por sabedoria".