Após CBF impedir a realização de cultos na concentração, mãe de Douglas Costa se reúne com familiares de jogadores

Após CBF impedir a realização de cultos na concentração, mãe de Douglas Costa se reúne com familiares de jogadores

05 de Jul de 2018

Os jogadores da Seleção Brasileira estão impedidos pela CBF de realizar cultos na concentração. Já os parentes e amigos que foram para a Rússia acompanha-los, participam de reuniões religiosas lideradas por Marlene Costa, 52, mãe do atacante Douglas Costa.

Ela é pastora há quase cinco anos. No domingo passado, a mãe do atacante reuniu-se com esposas, pais e mães dos atletas por mais de duas horas, para orarem juntos e compartilhar da Palavra. Foi o segundo encontro do tipo nestes 20 dias de Copa.

Os cultos foram realizados no quarto de hotel onde está hospedada Gláucia Rosa, mulher do volante Fernandinho. Foram vistos nas reuniões familiares dos atacantes Roberto Firmino, Douglas Costa, Gabriel Jesus, Willian, dos volantes Fred e Fernandinho, do goleiro Ederson, do zagueiro Miranda e do meia Renato Augusto.

Quem também esteve no primeiro culto foi Alex Dias Ribeiro, ex-piloto de Fórmula 1 e um dos fundadores do Atletas de Cristo.

À Folha de SP a pastora Marlene explica que "minhas palavras são muito voltadas para as famílias, esse é o tipo de culto que eu faço. A preocupação de todo mundo que está aqui é muito grande com o futebol em si. Nossa coisa é tentar acalmar todo mundo, deixar todo mundo tranquilo".

Seu filho está lesionado e ainda não deve jogar a partida contra a Bélgica. Pela rede social, Douglas publicou uma imagem dele correndo, acompanhada da frase: "Plano de Deus". Deixou claro, assim, que acredita na soberania de Deus mesmo quando nem tudo vai bem.

"Não coloco ele [Douglas] em primeiro lugar. A benção de Deus é para todo mundo. Tenho falado muito que tudo já deu certo e ele está bem", lembra Marlene.

O número de parentes e convidados da delegação que acompanha a seleção brasileira na Copa do Mundo chega a 120 pessoas. Eles viajam para as cidades onde o Brasil vai atuar apenas nos dias de jogos. O deslocamento é feito em aviões disponibilizados pela CBF, mas bancados pelos jogadores.

foto: Lucas Figueiredo/MoWa Press