Americanos doam helicóptero para expandir trabalho missionário na selva brasileira

Americanos doam helicóptero para expandir trabalho missionário na selva brasileira

16 de Mar de 2020

Criada em 1943, a Missão Novas Tribos (hoje Ethnos360) enviou seus primeiros missionários para a Bolívia. Na época, os missionários ouviram "Você não voltará vivo", mas isso não os deteve.

Aquele trabalho, iniciado pelos primeiros missionários, gerou a igreja Ayoré na selva amazônica. A família daqueles que mataram os cinco primeiros homens se tornou parte da família de Deus.

Audrey Bacon, esposa de um deles, tranquilizou os familiares dizendo: "Valeu a pena a morte de meu marido ao ver você conhecer Jesus Cristo".

Hoje, passados quase 80 anos, a semente da vida dos cinco missionários que nunca voltaram está em outro patamar e com trabalhos realizados em dezenas de países.

Agora a Ethnos360, com base na Flórida, acaba de informar em seu portal que conseguiu recursos para comprar um helicóptero R66 que usará para a evangelização de dez grupos na selva brasileira.

O helicóptero é considerado pelo grupo como uma "provisão miraculosa". "[Ele] foi ofertado a nós e é o primeiro helicóptero no Brasil a ser usado para o trabalho missionário", diz a Missões Novas Tribos do Brasil.

"Com ele iremos dar assistência à 7 equipes missionárias e em breve será estendido para mais equipes. As viagens que antes eram feitas em horas e até em dias, agora poderão ser feitas em 30min, o socorro chegará mais rápido e o Evangelho levado para ainda mais longe!", afirma.

No vídeo para arrecadar fundos, o piloto da Ethnos360 Jeremiah Diedrich descreve a região onde pretende chegar, próxima à fronteira com o Peru, como "o local mais escuro, denso e difícil de alcançar em toda a América do Sul".

O grupo, que observa uma interpretação literal da Bíblia cristã, tem como missão levar o cristianismo a todas as pessoas cujas "culturas e idiomas lhes isolaram do Evangelho".

A Ethnos360 explica que não há estradas para a maioria das aldeias tribais remotas. Caminhadas que podem levar uma semana ou mais requerem apenas alguns minutos em um avião. "É uma ambulância; é um táxi, é um ônibus escolar, é uma mercearia para os missionários", diz Larry Dye, piloto e instrutor da Ethnos360 Aviation.